top of page

PAULA VEIGA

Gestora de Seguros Tranquilidade
Voluntária no Grupo Girassóis

O Carlos tem três características que o distinguem de outros profissionais: cuidador, preocupado e perfeccionista. Da minha experiência pessoal, foi com o Carlos que consegui após várias lesões retomar a minha rotina de prática de exercício físico. Quando decidiu tirar o curso de Quiroprática, pude presenciar a sua evolução como "cobaia" e o que pude reter é que o Carlos estava extremamente empenhado e focado em conseguir um excelente desempenho no curso, colocando em prática todo o conhecimento adquirido. Por tudo isto, só posso desejar o maior sucesso profissional nesta nova etapa da sua vida.

Paula Veiga: Minha prática

INÊS MELO

Cliente

Sou praticante de ginástica desde os 3 anos, lesionei-me nas costas (zona lombar), aos 17 anos, nunca tendo recuperado (tenho atualmente 43…). Desde que me lesionei e nunca deixando de treinar, passei por vários processos: consultas médicas; anti inflamatórios (muitos); fisioterapia; infiltrações; osteopatia; “sacos de água quente”, enfim, já nem me lembro, mas sobretudo e sempre, associado a sofrimento, desconforto e grandes limitações.
Em Abril de 2010, numa fase particularmente crítica, fui novamente a uma consulta, tendo após realização de uma ressonância magnética, sido diagnosticada uma hérnia discal num estado avançado que segundo o médico, a melhor opção passaria por uma cirurgia. Não me agradou a ideia…
Nessa altura e por ter o privilégio de conhecer o Carlos Tavares, aconselhei-me com ele, sugeriu-me algumas sessões de Ativação Muscular que fiz durante a fase mais crítica, tendo sentido melhorias imediatas, posteriormente iniciei um programa de exercício físico específico e perfeitamente ajustado às minhas necessidades e limitações.
Hoje, quase não me reconheço e é ainda com algum ceticismo, mas grande entusiasmo que verifico e confirmo que movimentos e atividades que aos poucos deixei de fazer por incapacidade, receio ou apenas a certeza da dor associada, os tenho vindo gradualmente a realizar com uma mobilidade e facilidade que achei que nunca mais poderia voltar a ter e que dificilmente uma cirurgia me poderia ter dado.  
Há grandes probabilidades de continuar a ter a hérnia que a cirurgia teria eliminado, mas todo o equilíbrio que o meu corpo necessitava e que consegui através da ativação muscular e exercício físico adequado, reduziu substancialmente o desconforto associado à hérnia e tornou possível uma qualidade de vida na qual já não acreditava

Paula Veiga: Minha prática
bottom of page